Os benefícios da Reflexologia Podal na Dor Menstrual

MENSTRUAL

A Reflexologia Podal tem sido ao longo dos anos submetida à triagem do método científico com excelentes resultados em variadas condições clínicas e subclínicas, os quais estão hoje em dia presentes em variadíssimas publicações científicas de renome.

Vários estudos incidem sobre a validade da Reflexologia Podal no tratamento da dor menstrual ou dismenorreia, um dos distúrbios mais comuns que abrange cerca de 50% das mulheres em idade reprodutiva.

 

Os tratamentos convencionais à base de medicação química apresentam na grande maioria das vezes efeitos adversos, para além de uma taxa de falha que ronda os 20 a 25%, facto que propicia a procura de métodos de tratamento complementares e alternativos para dismenorreia primária.

Um estudo realizado em 2010 na Isfahan University of Medical Sciences (Irão) com o objetivo de comparar e determinar a eficácia da Reflexologia Podal vs do Ibuprofeno na redução da intensidade da dor e duração da dor menstrual demonstrou a eficácia terapêutica da reflexologia.

O ensaio clínico, da autoria de Mahboubeh Valiani, Elaheh Babaei, Reza Heshmat e Zahra Zare, conduziu à publicação de um artigo científico denominado “Comparing the effects of reflexology methods and Ibuprofen administration on dysmenorrhea in female students of Isfahan University of Medical Sciences”.

Os indivíduos em estudo - 68 estudantes com dismenorreia primária - foram divididos aleatoriamente em dois grupos e aplicadas duas terapêuticas diferentes mas em condições similares, alguns dias antes do normal aparecimento da dor menstrual. No grupo de Reflexologia Podal receberam 10 sessões de reflexologia (40 minutos cada) divididas em 3 dias durante dois ciclos menstruais consecutivos. O outro grupo recebeu 10 doses de 400 mg de Ibuprofeno, uma vez a cada oito horas durante 3 dias e em 3 ciclos mensais consecutivos.

As principais regiões reflexas privilegiadas na Reflexologia Podal foram o plexo solar, útero, ovários e trompas de Falópio, região pélvica, hipófise e medula espinal.

A análise estatística cruzada com diferentes metodologias de análise e categorização da dor mostraram que a Reflexologia Podal foi associada à maior redução da intensidade e duração da dor menstrual em comparação com a terapia com Ibuprofeno. O teste independente e pareado mostrou que houve uma diferença significativa nos dois grupos entre intensidade e duração da dor menstrual. Considerando os resultados do estudo, a eficácia da Reflexologia Podal foi superior à do Ibuprofeno na redução da dismenorreia e o seu efeito terapêutico continuou mesmo após a interrupção da intervenção no terceiro ciclo menstrual.

Desta forma, considera-se de forma cientificamente comprovada, que a Reflexologia Podal é uma técnica não invasiva, de fácil acesso e económica, podendo substituir os Anti-Inflamatórios Não Esteroides na dor menstrual e evitando os seus efeitos colaterais adversos.

 

Voltar a Notícias

 

Scroll to Top