Osteopatia

 Curso de Osteopatia

 2 anos

Introdução

 

A origem da palavra Osteopatia vem do Grego “Osteon”, que significa “Osso” e “Patheia”, que quer dizer “Doença”. Mas, chamar “Doença do Osso” à Osteopatia, é tornar minoritária uma terapia manual que na realidade tem um alcance holístico e pleno ao nível do corpo humano.

Neste sentido, foi no Séc. XIX, nos EUA, que foram apresentados os princípios básicos da Osteopatia, criados pelo Dr. Andrew Taylor Still (1828 - 1917) quando este se dedicou, através da observação e da investigação, a fazer a correlação entre as várias patologias e as suas manifestações físicas.

Deste trabalho resultou que, segundo Dr. Andrew Still, o corpo humano é um sistema capaz de se auto-regenerar sendo o dever do Osteopata eliminar os factores que o impedem de funcionar de forma saudável.

Desta forma, podemos dizer que a Osteopatia é uma Medicina Natural que visa restabelecer a função das estruturas e sistemas corporais, agindo através da intervenção manual sobre os tecidos (articulações, músculos, fáscias, ligamentos, cápsulas, vísceras, tecido nervoso, vascular e linfático).

A Osteopatia é identificada como uma terapêutica não convencional reconhecida na medida em que, cientificamente, a Osteopatia assenta na anatomia humana mas, simultaneamente, recorre a uma visão holística que integra corpo e mente, sendo que o primeiro acaba por curar-se a si mesmo desde que a sua mecânica interna esteja em equilíbrio.

Em suma, a origem da palavra Osteopatia justifica-se na medida em que esta é uma terapia que se baseia no correto funcionamento do aparelho músculo-esquelético. Contudo, este não é apenas um conjunto de ossos e músculos, mas uma estrutura altamente vascularizada e inervada, que serve de sustentação e passagem de informação, permitindo assim o equilíbrio físico e emocional.

Encontramos assim o principal objetivo da Osteopatia: devolver a mobilidade ao aparelho músculo-esquelético, conseguindo reequilibrar deste modo todo o organismo. 

Programa Curricular:

 

1º ANO

Disciplina Carga Horária
Total

Anatomia I

35
Anatomia Palpatória I 20
Biomecânica I 25
Fisiologia Articular I 20
Teoria, História e Princípios da Osteopatia 15
Bases e Fundamentos da Osteopatia 30
Exame Clínico Subjectivo e Diagnóstico Diferencial I 35
Cadeias Lesionais Miofasciais e Relações Mecânicas I 30
Avaliação e Tratamento de Tecidos Moles I 45
Avaliação e Diagnóstico em Osteopatia Estrutural I 160
Tratamento e correções em Osteopatia Estrutural I 160
Biologia Celular 30
Bioquímica I 30
Testes Ortopédicos aplicados à Osteopatia I 15
Práticas Clínicas I 60
Total 700

 

 

2º ANO

Disciplina Carga Horária
Total
Anatomia II 35
Anatomia Palpatória II 20
Biomecânica II 25
Fisiologia Articular II 20
Testes ortopédicos aplicados à Osteopatia II 15
Exame clínico subjetivo e Diagnóstico Diferencial II 35
Cadeias lesionais miofasciais e Relações Mecânicas II 30
Avaliação e Tratamento de Tecidos Moles II 45
Avaliação e Diagnóstico em Osteopatia Estrutural II 160
Tratamento e correções em Osteopatia Estrutural II 160
Psicologia aplicada à Osteopatia 5
Primeiros Socorros 20
Imagiologia 25
Ergonomia 15
Profissão, Ética e Deontologia 20
Práticas Clínicas II 80
Anatomia Craniana 10
Anatomia Palpatória do crânio 10
Fisiologia craniana 15
Fisiopatologia II 20
Exame clínico subjetivo e Diagnóstico Diferencial III 10
Avaliação e Diagnóstico em Osteopatia craniana 80
Tratamento e correções em Osteopatia craniana 80
Osteopatia Pediátrica 20
Anatomia Visceral 15
Fisiologia Visceral 10
Fisiopatologia I 50
Semiologia 10
Exame clínico subjetivo e Diagnóstico deferencial IV 20
Avaliação e Diagnóstico Osteopático Visceral 120
Tratamento e correções Osteopáticas Viscerais 120
Integração clínica (estrutural-visceral-craniana) 15
Nutrição e Fitoterapia para grávidas 5
Práticas Clínicas III 90
Total 1400

FAQ's 

 

1. Quais são as saídas profissionais que o curso de Osteopatia proporciona?
R:
 Em primeiro lugar o Osteopata pode exercer a sua atividade por conta própria ou numa clínica privada. Depois, pode optar por exercer Osteopatia em Instituições de Cuidados de Saúde (clínicas, consultórios), Centros de Reabilitação e Recuperação, Centros Desportivos ou Health Clubs, Termas, Lares de 3ª idade ou centros de Apoio a Deficientes. Pode ainda seguir pela carreira docente na área ou como consultor de empresas ou instituições vocacionadas para as terapias naturais.

 

2. Já existe licenciatura para o curso de Osteopatia?
R:
Sim. A partir do dia 20/06/16, foi aprovado pelo Conselho de Administração da Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES), a primeira licenciatura em Osteopatia no nosso país.

 

3. Se eu tirar o curso de Osteopatia no Instituto Kiros Portugal sou licenciado?
R:
O curso de Osteopatia ministrado pelo Instituto Kiros Portugal, não confere grau de licenciatura. No entanto, o Instituto Kiros Portugal tem um acordo de parceria com o Instituto Piaget permitindo-lhe, após realização do nosso curso de Osteopatia, candidatar-se à licenciatura (para os polos de Vila Nova de Gaia e Silves), já com um conjunto de créditos realizados – o que significa que, para tirar a licenciatura, não terá de fazer a totalidade dos 4 anos universitários. Desta forma, obterá no final a Cédula Profissional de Osteopata, que lhe permite exercer a profissão. Por outro lado, o fato de ser aluno do Instituto Kiros Portugal, permite-lhe ter um conjunto de benefícios junto do nosso parceiro, aquando a realização da candidatura à licenciatura.

 

4. A Osteopatia é uma profissão legalizada?
R: Sim, a Osteopatia é uma profissão legalizada, de acordo com a Lei nº71/2013 de 02/09/2013, assim como reconhecida pela OMS (Organização Mundial de Saúde) que recomenda a todos os governos membros a sua rápida integração nos respetivos Serviços Nacionais de Saúde.

 

5. O que é necessário para exercer a atividade de Osteopatia?
R:
Para exercer a atividade de Osteopatia é necessário frequentar a licenciatura (realizando a totalidade dos créditos em ambiente universitário ou fazendo através de uma entidade de formação com acordo universitário), abrir atividade nas finanças, possuir um seguro de responsabilidade civil para a atividade de Osteopata e solicitar a Cédula Profissional à ACSS (Administração Central do Serviço de Saúde).

 

6. Pode exercer-se Osteopatia fora de Portugal?
R:
Sim, pode exercer-se Osteopatia fora de Portugal. No entanto a atividade estará sempre dependente das normas e regulamentação de cada país.

 

Para informações adicionais relativas ao Curso de Osteopatia, estamos disponíveis para qualquer esclarecimento através do nosso email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Scroll to Top