Hiperemia: a grande aliada da massagem!

noticia1 hiperenia1A Hiperemia é caracterizada por um aumento do volume sanguíneo num determinado tecido ou zona do organismo.

 

A este aumento específico do volume sanguíneo não têm de estar associados necessariamente fatores negativos.Existem também vantagens que se traduzem benéficas para o nosso organismo.

 

Desta forma, podemos dividir a Hiperemia em dois grandes grupos: 

 

Hiperemia Ativa

Aumento do afluxo sanguíneo nas artérias, que pode ser de causa física, química ou farmacológica.

Consequentemente regista-se um aumento da vermelhidão na região afetada, cujos exemplos podem ser de diversa ordem: a causa da dilatação arterial pode ser devida a mecanismos neurogénicos (rubor), pode ser uma hiperemia ativa da pele para dissipar um excesso de calor (exemplo: exercício físico se pensarmos em termos fisiológicos ou estado febril se pensarmos em termos patológicos) ou mesmo uma questão fisiológica (processo digestivo, emoções, ambientes secos, etc.).

 

Hiperemia Passiva:

Aumento de sangue nas veias, por estase (paragem ou estagnação do sangue ou de qualquer outro líquido ou material orgânico). Ou seja, regista-se uma diminuição da drenagem venosa.

Neste tipo de hiperemia verifica-se o aparecimento de uma coloração azul avermelhada intensificada nas zonas afectadas, conforme o sangue venoso se acumula. Tal coloração aumenta quando há um aumento da concentração de hemoglobina não-oxigenada no sangue (cianose).

Esta congestão pode ser um fenómeno sistémico (insuficiência cardíaca) ou localizado (obstrução de uma veia).

 

Caracterização à parte, o que é certo é que a Hiperemia pode ser um fenómeno benéfico, quando realizada com um determinado propósito, como é aquele que se pretende com a massagem.

 

Assim, a Hiperemia produzida pela massagem favorece o intercâmbio de oxigénio e nutrientes estimulando-se desta forma a regeneração celular e, em simultâneo, uma redução de líquidos intersticiais, que acaba por se traduzir numa redução de edemas.

 

Por outro lado, a vasodilatação e a hiperemia do tecido muscular, permitem um maior fornecimento de oxigénio e glucose, favorecendo a reabsorção dos líquidos excedentes e, portanto, a eliminação dos resíduos da contração muscular: os cristais do ácido lático e pirúvico, cuja acumulação é responsável pelo aparecimento de nódulos dolorosos no músculo.

 

E no final, o melhor de tudo: uma óptima sensação de relaxamento!

Scroll to Top