Reflexologia Integral

jan not2“Os olhos são o espelho da alma” já diz o popular adágio. Tal expressão não é mais que a constatação, através do conhecimento empírico e tradicional, de que através dos olhos podemos percecionar o estado de espírito de um indivíduo: a sua alegria, a sua tristeza, ou mesmo o início ou a evolução de possíveis enfermidades.

 

Trata-se da “mensagem” (reflexo) que determinada estrutura envia a outra para que esta a exteriorize, ou seja, o nosso corpo (em parte ou no seu todo) emite uma mensagem facilmente valorizável numa estrutura de fácil acesso e análise como são os olhos, os pés, as mãos ou as orelhas.

A Reflexologia surge assim como o estudo dos reflexos, sendo esta uma importante área da neurofisiologia.

É sabido que o sistema nervoso central, mais especificamente o cérebro, controla todos os processos biológicos (estruturais, bioquímicos, emocionais e energéticos), comunicando com o restante organismo através da medula espinal que se ramifica em inúmeras fibras nervosas (constituintes do sistema nervoso periférico) as quais enervam todo o corpo, permitindo ter sensibilidade, dor, proprioceção, bem como o funcionamento fisiológico global de órgãos e vísceras. Como que de raízes se tratassem, é nas extremidades (pés, mãos e orelhas) que muitas vezes temos uma expressão global do organismo. Através deste mecanismo estão criadas as condições para uma comunicação bidirecional entre o cérebro (o computador central) e todas as estruturas do corpo humano. É também através deste mecanismo que uma simples picada de uma agulha no dedo de uma mão é percecionada pelo cérebro, sendo que este emite um conjunto de orientações que vão desde a sensação de dor, a reação de “fuga” (à agulha), à emissão de substâncias químicas endógenas de objetivo analgésico e anti-inflamatório. Há assim uma comunicação nos dois sentidos, entre o dedo (acabado de picar) e o cérebro, a qual é realizada em milésimos de segundo, havendo respostas múltiplas extremamente rápidas que deixariam o mais rápido processador de um computador superpotente “vermelho de vergonha” ...

A explicação anterior leva-nos facilmente a constatar que, se todo o organismo comunica bidireccionalmente com o cérebro, os estados de fisiologia e patologia também são percecionados pelo cérebro que facilmente envia sinais desses estados expressando mais facilmente o estado do organismo como um todo nas extremidades (pés, mãos e orelhas) permitindo assim, através de uma análise cuidada, avaliar (diagnosticar) o estado do organismo. Através do estímulo destes feixes nervosos (nas regiões referidas) podemos agir sobre o sistema nevoso periférico, levando uma mensagem de estimulação ao cérebro para recuperação do comportamento fisiológico, permitindo assim uma ação terapêutica global e comprovadamente eficaz.

Com recurso aos conhecimentos da Neurofisiologia, à integração dos estudos e conhecimentos da Medicina Tradicional Chinesa e à vasta experiência de profissionais de saúde convencional e complementar foi criado o método de atuação terapêutica da Reflexologia Integral.

Pelo exposto a Reflexologia Integral é um método terapêutico de avaliação e tratamento que utiliza os pés, as mãos e a orelha como locais que têm espelhadas todas as estruturas do organismo, e onde o profissional treinado para tal executa os procedimentos de diagnóstico e estimulação permitindo uma ação terapêutica tanto promotora do estado de saúde (prevenção de doenças), como interventiva num grande número de patologias.

A eficácia da Reflexologia é comprovada, sendo hoje em dia aplicada sozinha ou em complemento das terapêuticas convencionais, seja em clínica privada ou em meio hospital.
Importante referir que a Reflexologia Integral é reconhecida pela Organização Mundial de Saúde como trazendo benefícios diversos para o utente, sendo acima de tudo uma ferramenta de extrema importância para qualquer terapeuta, independentemente da sua área profissional.

Scroll to Top