Arteriosclerose, Aterosclerose ou Arterosclerose?

img01É muito comum haver confusão entre as palavras a "arteriosclerose" e "aterosclerose". Ambas estão corretas. Mas não são a mesma coisa. Vamos perceber a diferença entre elas. 

Contudo fica o alerta: apesar de ser habitual ouvirmos dizer “arterosclerose”, esta palavra está errada!

 

arteriosclerose é um termo geral usado para denominar o espessamento e endurecimento das artérias.

Devido à diminuição da elasticidade da parede das artérias, a pressão arterial sistólica (vulgarmente chamada a “máxima”) aumenta e diminui a pressão arterial diastólica (vulgarmente chamada a “mínima”). É quase universal na velhice e predomina no sexo masculino, uma vez que as mulheres desviam as gorduras sanguíneas para a produção de estrogénios. É a principal causa de morte no mundo ocidental.

A superfície interna irregular da artéria com arteriosclerose predispõe à coagulação sanguínea nesse local, com obstrução arterial aguda (trombose) levando subitamente à falta de sangue para todos os tecidos nutridos por aquela artéria, que entram em isquemia ou necrose. Por esta razão, e em função da(s) artéria(s) atingida(s), o primeiro sinal de arteriosclerose pode ser a morte.

Os factores de risco para a doença são a idade, o sexo, a hiperlipidemia, o tabagismo, a hipertensão, o sedentarismo e a história familiar.

 

aterosclerose é um tipo de arteriosclerose. É uma doença inflamatória crónica na qual ocorre a formação de ateromas dentro dos vasos sanguíneos. Os ateromas são placas compostas especialmente por lípidos e tecido fibroso, que se formam na parede dos vasos. Levam progressivamente à diminuição do diâmetro do vaso, podendo chegar à obstrução total do mesmo.

Manifesta-se clinicamente em 10% da população acima dos 50 anos. O seu desenvolvimento é lento e progressivo sendo necessária uma obstrução arterial significativa, de cerca de 75% do calibre de uma artéria, para que surjam os primeiros sintomas isquémicos.

 

Para evitar qualquer umas destas situações, o melhor mesmo é apostar na prevenção, através de uma alimentação equilibrada, pobre em gordura, mas rica em verduras e frutas, evitar o tabaco e as bebidas alcoólicas e praticar exercício físico.

Scroll to Top